3. Irmão Butindaro, tenho uma questão referente a 1COR. 11 onde fala do costume do véu para a mulher. Sabemos que a Bíblia se explica com a Bíblia, mas neste caso não encontrei outros versículos específicos que possam ordenar o uso do véu para as mulheres em adoração ou culto; portanto a minha pesquisa foi além. Tendo feito uma regular pesquisa entre comentários - dicionários bíblicos, estudo feito pela irmã Rosa e também um pouco de pesquisa histórica para perceber melhor o período em que Paulo escreveu esta carta aos Coríntios, consegui me certificar do seguinte: nos dias de Paulo a cidade de Corinto, na Grécia estava sob o domínio romano, a população superava o meio milhão, na grande maioria pagãos e bem conhecidos pela vida extremamente depravada e também por uma pesada idolatria. A influência deste ambiente se fez sentir na igreja nascente tanto que entre os crentes predominava uma atmosfera carnal que dava lugar a desordens e divisões. Paulo protesta contra tal situação enviando esta carta cheia de repreensões insistindo na necessidade de manter a ordem, a moralidade e a espiritualidade e uma linha de conduta verdadeiramente cristã. Os santos de Corinto não se preocupavam de manifestar na sua conduta pessoal aquela forma de doutrina exposta na carta aos Romanos esquecendo que o cristão deve considerar-se morto, sepultado e ressuscitado com Cristo. Porque várias tradições estavam representadas na igreja de Corinto era necessário clarificar a atitude cristã para que o culto se desenvolvesse com ordem 1Co 14,40. As mulheres hebraicas quando oravam punham um véu na cabeça e também as romanas faziam o mesmo, isto porque no seu tempo a mulher era submissa ao marido e era escandaloso que a mulher se fizesse ver em público com a cabeça descoberta, era uma desonra e para proteger a honra e a dignidade diante dos homens ela cobria a cabeça com o véu. As mulheres gregas, ao contrário, eram bem dotadas culturalmente e estavam habituadas a ter maior liberdade do que as mulheres hebréias, isto trouxe perturbação, pois ambas as culturas estavam bem representadas na igreja de Corinto, e isto como outros motivos trouxe desordem e controvérsias para a Igreja. Se precisa que no tempo de Paulo o não cobrir a cabeça significava negar a autoridade do marido; há também a recordar que em Corinto os homens cabeludos eram considerados pervertidos e as mulheres com cabelos curtos prostitutas; na mesma para o véu porque para os hebreus não cobrir a cabeça era considerado um sinal de rebelião, eis por que Paulo procurou pôr paz entre estas culturas e aconselhou às mulheres gregas usarem o véu durante a adoração ao Senhor ou no culto. Os cabelos da mulher deviam ser mais compridos do que os do homem disto segue que se uma mulher traz o véu demonstrava-se disposta a estar e a comportar-se segundo a vontade de Deus em relação ao homem, porque o homem e a mulher foram feitos à imagem de Deus mas a mulher foi feita também para a glória do homem e na presença de Deus isso se tornava vergonhoso, e para que o homem não fosse desonrado a mulher devia usar o véu porque o devia fazer pelo seu cabeça que era o marido, como sinal de submissão. Os crentes não deviam sem necessidade desprezar as convenções sociais, apesar de o seu parecer dever basear-se nos princípios bíblicos. A solução de Paulo baseia-se no seu desejo de unidade entre os membros da igreja que se evidencia sobretudo durante a adoração, de facto ele destaca a ordem que deve haver durante ela ou no culto, sem criar desordens confusões e discórdias. Portanto se as instruções específicas que Paulo dá são de tipo cultural (ad.ex. como usar o véu) isto porque ele mesmo segue os hábitos da honorabilidade do tempo (de facto o próprio Judaísmo prescrevia para as mulheres casadas trazerem fora de casa um véu sobre a cabeça em sinal de submissão e de pertença ao marido) os princípios de base são imutáveis, como por exemplo o respeito pela própria mulher, a seriedade, durante a adoração - culto e o empenho pelo Senhor. Por este motivo Paulo convidou as mulheres de cultura diferente a usar o véu, porque assim fazendo evitaria que a igreja se dividisse por causa de uma tolice que induzia apenas a desviar a mente de Cristo, dado que ela era formada por diversas culturas. Vestir de modo decoroso é um princípio cristão ainda válido, porque a parte exterior reflecte a atitude interior. O modo em que este princípio encontra a sua expressão concretamente varia de lugar para lugar e de época para época, e os crentes devem sempre comportar-se de modo honrável  numa comunidade e tudo varia segundo a cultura em que vivam, o importante é nunca desviar a mente de Cristo. Segundo o pouco que recolhi dos vários comentários não se evidencia portanto ainda o uso do véu para a igreja hoje, mas antes se deveria notar que naquela época havia um costume cultural a propósito dele diferente de hoje na nossa cultura, sabemos muito bem que numa adoração ou culto é necessário estar vestido de forma decorosa tanto por ordem como para não dar escândalo e falatórios na igreja que traria dolo a desviar a mente de Cristo. Paulo mencionou também os anjos para que melhor pudessem perceber que a ordem era muito importante para Cristo, porque se uma mulher escandalizava os homens escandalizava também os anjos que sendo guardiães da ordem da criação estavam portanto presentes na adoração e culto (1tim5,21). Torno a repetir que naquela cidade cheia de imoralidade portanto com um péssimo ambiente para o nascimento de uma nova igreja, que tendo membros de várias culturas trouxeram para dentro da igreja, criando discórdias, desordens, com a possibilidade de uma divisão. Hoje também nós podemos dizer que há diferentes culturas e que a igreja com base a onde nasce pode ter costumes no interior na adoração ou durante o culto, mas se duas diferentes culturas se unissem o que sucederia, seguramente ao último que chegou se procura fazer perceber que não pode trazer para o interior costumes mas se procura achar um consenso excepto se não se demonstra biblicamente que isso é agradável a Deus. Se o não usar o véu não é ofensa para DEUS e não lhe é sequer agradável o que é que hoje significa pôr o véu se não é doutrina? Não tem sentido usar um símbolo para o invisível porque o invisível sabe que nós estamos submetidos a Cristo ou não, e aos outros não o devemos demonstrar porque os seguidores de Cristo não devem a meu parecer aplicar um costume que a Deus não serve porque ele mesmo doutra forma o teria mandado e em mais passagens nós hoje o encontraríamos. Sei ser jovem na fé e é por isso que queria perceber, mas com a escritura e com a minha pesquisa não encontrei outras passagens para ainda usá-lo, perguntei na minha comunidade por que algumas mulheres o usam e outras não e me responderam que é facultativo, não queria que se tornasse um costume se não é obrigatório porque a Igreja de Cristo a meu ver não deve ter costumes, eu queria porém seguir o que Cristo nos diz, faço-vos esta indagação para conseguir perceber bem aquilo que Deus quer de mim e de todos, venho do catolicismo e não queria seguir mais instruções de homens mas de Deus, ou seja, queria perceber melhor o conceito segundo a Palavra de Deus, espero ter exclarecimentos de vós se isso não fosse incómodo, obrigado 

Vê, irmã, para a mulher usar o véu quando ora ou profetiza é um dever válido ainda hoje não importa em que nação se viva. É um dever porque está escrito que a mulher DEVE, por causa dos anjos, ter sobre a cabeça um sinal da autoridade da qual depende (cfr. 1 Cor. 11:10). Queria agora fazer-te notar algumas coisas.

Paulo diz que a mulher deve cobrir a cabeça por causa dos anjos de Deus; concordarás comigo que os anjos do Senhor nos vêem, como viam antigamente os santos daquela época, por isso é necessário que a mulher mostre este sinal da autoridade da qual depende a estas criaturas celestiais. Que sucede se não o faz? Desonra o homem que é o seu cabeça (cfr. 1 Cor. 11:5). Portanto uma crente - não pondo o véu - não faz o bem ao seu cabeça porque o desonra. Queres desonrar o teu cabeça diante dos anjos de Deus? Tu dirás, mas eu não desonro Deus não pondo o véu? Isso é verdade, mas contudo fazes sempre algo que não convém a uma mulher que faz profissão de servir a Deus. Ora, aqueles que se opõem à ordem do véu desprezam voluntariamente este 'por causa dos anjos' e as razões são óbvias porque cala qualquer opositor. Se, de facto, naquele tempo era por causa dos anjos que a mulher devia cobrir a cabeça quando orava ou profetizava, é óbvio que não era em virtude de uma razão social ou cultural etc. que depois com o tempo mudou pelo que agora as mulheres crentes não são mais obrigadas a cobrir a cabeça. Os opositores, na verdade, querem fazer crer que era por toda outra razão menos a dos anjos que Paulo ordenava às mulheres crentes porem o véu sobre a cabeça. Te repito portanto, que dado que os anjos de Deus nos vêem e estão presentes junto do povo de Deus dia e noite, se a mulher (seja casada ou solteira) não cobre a cabeça quando ora ou profetiza ela desonra o homem, ou seja, o seu cabeça, diante dos anjos de Deus. O véu sobre a cabeça da mulher é um sinal de submissão da mulher em relação ao homem que portanto é necessário ainda hoje. Vê bem, não um sinal de submissão a Cristo, mas um sinal de submissão ao homem. O cabeça da mulher, de facto, é o homem e não Cristo.

A este ponto te queria dizer uma outra coisa que é a seguinte. Que aquilo sobre o véu para a mulher é uma ordem a observar também hoje é confirmado pelo facto de ainda hoje se o homem ora ou profetiza com a cabeça coberta desonra Cristo (cfr. 1 Cor. 11:4). Por que é que um crente quando se deve pôr a orar, se tem um chapéu sobre a cabeça, sente logo de tirá-lo antes de se pôr a orar? Não é porventura porque sabe que se orar com a cabeça coberta desonra o seu cabeça que é Cristo? Tu pensas que a sua consciência não lho testificaria esta desonra trazida a Cristo se pelo contrário não o tirasse? Eu te posso assegurar que lho testificaria. E te o digo também por experiência própria porque muitos anos atrás enquanto fazia o serviço militar recordo que um dia na mesa esqueci-me antes de orar de tirar o chapéu que tinha sobre a cabeça e quando acabei de orar e comecei a comer senti que havia alguma coisa que não estava bem em mim porque não me senti bem espiritualmente e de repente notei que não tinha tirado o chapéu (o que fazia habitualmente) e percebi que tinha desonrado Cristo, pelo que pedi logo perdão ao Senhor. Não é um motivo cultural ou social ou outro aquele pelo qual o homem não deve cobrir a cabeça quando ora ou profetiza mas um motivo bíblico porque o homem sendo a imagem e glória de Deus não deve cobrir a cabeça (cfr. 1 Cor. 11:7). Mas ponhamos o caso de na comunidade que tu frequentas um irmão se ponha a orar ou profetizar com um chapéu na cabeça; tu pensas que passaria despercebido? Tu pensas que não haveria ninguém que lhe diria: 'Olha irmão que não convém um homem orar com a cabeça coberta porque assim fazendo desonra Cristo'? É uma coisa que destoa ver um homem orar ou profetizar com a cabeça coberta, como é uma coisa que destoa ver uma mulher orar ou profetizar com a cabeça descoberta. Os dois desonram alguém, a mulher desonra o homem, e o homem desonra Cristo.

Olha, irmã, eu te asseguro que como um homem se ora ou profetiza com a cabeça coberta sente ter feito algo de não bom, assim também a mulher sente no seu íntimo não fazer uma coisa justa ao não cobrir a cabeça quando ora ou profetiza e isto o sente principalmente à vista de uma mulher que à diferença dela tem o véu. Se pois tu ainda não pões o véu quando oras exorto-te a pô-lo (podes ter a cabeça descoberta quando não oras ou não profetizas); te aperceberás que fazes uma coisa justa diante de Deus e dos homens. Eu te posso dizer que fico contente ao ver as irmãs com a cabeça coberta quando oram ou profetizam e descontente quando vejo que não o querem pôr. Obviamente, o pôr o véu não é a ordem mais importante que uma crente deve observar mas contudo é sempre uma ordem.

Uma última coisa: eu constatei que se hoje muitas irmãs não querem pôr o véu sobre a cabeça é por causa de sentirem-se 'emancipadas' à diferença das mulheres da antiguidade que pelo contrário eram uma espécie de 'escravas ignorantes' que não tinham querido ou podido emancipar-se. Dado, com efeito, que a mulher hoje alcançou a 'paridade' o homem não é mais o cabeça da mulher pelo que este sinal de autoridade não lhe convém mais trazê-lo sobre a cabeça!! Asseguro-te porém que para os santos anjos a mulher de modo nenhum se emancipou porque o seu cabeça ainda permanece o homem. Portanto, na raiz desta dissensão sobre o véu está um espírito de contenda que existe em muitas mulheres. Infelizmente, ainda hoje a serpente engana a mulher com a mesma astúcia que usou no jardim do Éden para fazê-la fazer algo que não agrada a Deus. Quando ouço irmãs que dizem: 'Mas não há nenhum mal hoje em não cobrir a cabeça!', me parece ouvir a serpente quando disse à mulher: 'Certamente não morrereis'. Naturalmente o diabo sabe como fazer passar uma ordem de Deus por algo de facultativo ou de ultrapassado, esta é uma sua especialidade, e muitos caem nesta sua rede. Diz-se que o diabo é astuto; bom, mas como se manifesta esta sua astúcia? Dou-te um exemplo: o diabo consegue fazer crer a muitos Evangélicos que o falar em línguas, as interpretações, os milagres e as curas que acontecem no seio do movimento pentecostal são pelo diabo e não por Deus, e portanto são tudo coisas a evitar; e como o faz? Fazendo crer que com a morte dos apóstolos cessaram todas essas manifestações! No entanto há muitas escrituras na Bíblia que testificam que são por Deus. Sobre o véu é uma coisa um pouco semelhante; a um certo ponto da história o véu cessou de ser uma ordem para a mulher. O motivo? Mudaram as condições sociais e culturais!! Mas o motivo não subsiste diante da Palavra de Deus e por isso não convence. Tu dirás que do véu se fala dele só aos Coríntios. É verdade, mas se é por isso também de chamar os anciãos por parte do doente para que se ore pela sua cura há só uma passagem em toda a Bíblia, aquela em Tiago! No entanto a se aceita como uma ordem válida ainda hoje. E poderia citar-te outras ordens mencionadas só uma vez em toda a Bíblia mas não por isso ultrapassadas.

Portanto, irmã, para concluir; eu não julgo uma coisa decente ou conveniente que uma mulher ore ou profetize com a cabeça descoberta; tenho a mesma convicção de Paulo. As razões te as expliquei abertamente. Eu te convido a ir ler e reler atentamente a parte do capítulo 11 da primeira epístola aos Coríntios onde Paulo fala desta ordem; ora ao Senhor e verás que ele te fará perceber o caminho a seguir. Percebo que o facto de que te tenha sido dito que o véu é facultativo seja um tropeço para ti; de qualquer forma, creio que tu podes na mesma ser persuadida pelo Senhor. Não penses achar nos comentários e nos dicionários bíblicos uma confirmação para a ordem do véu para as mulheres; eu li muitos destes livros e não lembro de ter alguma vez encontrado algum que dizia que ainda hoje esta ordem deve ser observada (não quero porém excluir que haja em alguma parte algum comentário ou dicionário que seja excepção)!

 

 

Índice