6. Se Deus quer que todos os homens sejam salvos por que é que no fim não salva todos?


Porque esse "quer que todos os homens sejam salvos" (1 Tim. 2:4) não significa que Deus decretou que todos os homens sejam salvos. Significa, antes, que Deus quer salvar gente de toda a tribo, língua, nação, posição social e posição económica, etc.; isto o se evidencia por todo o contexto em que estas palavras são citadas pelo apóstolo Paulo. Eis o contexto: "Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e acções de graças por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e sossegada, em toda a piedade e honestidade. Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus homem, o qual se deu a si mesmo em resgate por todos, para servir de testemunho a seu tempo; para o que (digo a verdade, não minto) eu fui constituído pregador e apóstolo, doutor dos gentios na fé e na verdade" (1 Tim. 2:1-7). Como se pode ver, estas específicas palavras de Paulo seguem uma exortação a orar por todos os homens, pelos reis e por todos os que exercem autoridade, pelo que elas nesse contexto são uma admoestação aos que poderiam ser induzidos a pensar que para uma certa categoria de homens não há necessidade de orar porque a salvação não é para eles.

Não pode não ser este o significado dessas palavras ditas por Paulo porque em outros lugares Paulo faz perceber que Deus não quer ter misericórdia de todos os homens, por exemplo ele diz aos santos de Roma que Deus tem misericórdia de quem quer e endurece a quem quer (cfr. Rom. 9:18); que Ele "querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição" (Rom. 9:22). E depois que dizer quando Paulo diz qual será a sorte do iníquo que fará a sua aparição antes da vinda de Cristo? Não é porventura esta uma ulterior confirmação que Deus não quer que este ser humano desprezível seja salvo? Ou porventura tu entrevês nestas palavras: "E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda" (2 Tess. 2:8) que Deus queira salvar esse iníquo?

Certamente se Deus quisesse, isto é, se tivesse decretado, ter misericórdia de todos, no fim salvaria todos porque não há ninguém que o possa impedir de executar um seu decreto. Escuta, com efeito, o que Deus declarou através de Isaías: "Lembrai-vos das coisas passadas desde a antigüidade; que eu sou Deus, e não há outro; eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim; que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antigüidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho subsistirá, e farei toda a minha vontade; chamando do oriente uma ave de rapina, e dum país remoto o homem do meu conselho; sim, eu o disse, e eu o cumprirei; formei esse propósito, e também o executarei" (Is. 46:9-11); mas precisamente porque não é um seu decreto a salvação final de todos, ele no fim salvará só alguns, os eleitos.

Queria terminar dizendo-te isto: cuida bem que essas palavras de Paulo em que ele diz que Deus quer que todos os homens sejam salvos, são ainda tomadas pelos Universalistas, isto é, por aqueles que sustentam que no fim Deus salvará todos na sua bondade. Eles, de facto, sustentam que quando Deus diz que quer alguma coisa ninguém lho pode impedir, pelo que ninguém poderá lhe impedir de salvar todos e de não condenar ninguém.



Índice