2. Caros Giacinto e Illuminato, tenho uma pergunta a fazer-vos: por que é que os Hebreus não reconheceram Jesus como Filho de Deus? 


A resposta é simples, porque para os Hebreus Deus não tinha um Filho Unigénito. Para um Hebreu reconhecer em Jesus Cristo o Filho de Deus, equivalia a dizer que Deus não era ÚNICO no sentido que o entendia o Judaísmo de então, a saber, que Deus não era UMA SÓ PESSOA porque partilhava a sua Divindade com um outro Deus, uma coisa inadmissível para o Judaísmo que proibia ter além de Deus um outro deus (cfr. Ex. 20:3). Portanto um Hebreu que reconhecia em Jesus o Filho de Deus para o Judaísmo se dava à idolatria, apostatava da fé no ÚNICO DEUS, e era digno de morte (cfr. Deut. 13:6-11). Basta considerar qual perseguição se abateu sobre os Hebreus crentes de então para perceber tudo isto. Mas não só, para o Judaísmo de então reconhecer Jesus como o Filho de Deus equivalia a reconhecer a justeza dos sacrifícios humanos que são aborrecidos pela lei. E, dizer que Deus deu ou ofereceu o seu Filho para a remissão dos nossos pecados, para um Judeu queria dizer que Deus era um Deus impiedoso e cruel. Portanto o reconhecer Jesus como o Filho de Deus equivalia a ofender Deus duas vezes.

O mesmo e idêntico discurso obviamente vale para os nossos dias porque ainda hoje para os Hebreus reconhecer em Jesus o Filho de Deus morto sobre a cruz pelos nossos pecados equivale a ofender Deus duas vezes porque se nega a unicidade de Deus e se faz passar Deus por alguém que praticou um sacrifício humano. Um Hebreu que se põe a crer que Jesus é o Filho de Deus apostata da verdadeira fé, e é excomungado, isto é, expulso da comunidade hebraica não só local mas de todo o mundo, e para muitos deixa até de ser Hebreu. Além disso, cometendo o grave pecado de idolatria ele não herdará o Mundo Vindouro, com efeito, o pecado de idolatria é um daqueles pecados que segundo o Judaísmo impede de herdar o mundo vindouro.
Os Hebreus raciocinavam e raciocinam ainda hoje desta maneira pela razão dita por Isaías: "Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos e entendam com o coração, e se convertam, e eu os cure" (João 12:40) e por Moisés: "Deus lhes deu espírito de profundo sono, olhos para não verem, e ouvidos para não ouvirem, até ao dia de hoje" (Rom. 11:8).
Nada de admirar portanto, estamos perante o endurecimento parcial que se produziu por decreto de Deus em Israel.
Mas um dia este endurecimento deixará de existir e então todo Israel será salvo; para ver tudo isto é preciso esperar a plenitude dos Gentios conforme está escrito: "Porque não quero, irmãos, que ignoreis este mistério (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado; e assim todo o Israel será salvo, como está escrito: Virá de Sião o Libertador, e desviará de Jacó as impiedades; e este será o meu pacto com eles, quando eu tirar os seus pecados" (Rom. 11:25-27).



Índice