29. É justo chamar Jesus "o amigo dos pecadores"? 


Não, não é justo porque chamar Jesus Cristo desta maneira equivale a ofendê-lo. Era desta maneira, de facto, que nos dias de Jesus muitos o ofenderam conforme está escrito que Jesus disse: "Mas, a quem assemelharei esta geração? É semelhante aos meninos que se assentam nas praças, e clamam aos seus companheiros, e dizem: Tocamo-vos flauta, e não dançastes; cantamo-vos lamentações, e não chorastes. Porquanto veio João, não comendo nem bebendo, e dizem: Tem demónio. Veio o Filho do homem, comendo e bebendo, e dizem: Eis aí um homem comilão e beberrão, amigo dos publicanos e pecadores. Mas a sabedoria é justificada por seus filhos" (Mat. 11:15-19). Nota bem que Jesus ao dizer que os homens diziam do Filho do homem que era um amigo dos publicanos e dos pecadores quis dizer que eles o ofenderam e o desonraram dizendo essa coisa, porque além disso eles disseram dele que era um comilão e um beberrão, e depois isso se evidencia também pelo facto dele ter dito que a sabedoria é justificada por seus filhos, ou como outros traduzem pelas suas obras. E se a sabedoria é justificada quer dizer que alguém a tinha caluniado ou acusado injustamente. Não te parece? E depois nota bem como pouco antes, no caso de João Batista, Jesus disse que ele não comeu pão e nem bebeu vinho (cfr. Lucas 7:33) mas os homens diziam dele que tinha um demónio, querendo fazer perceber que embora João não comesse nem pão e não bebesse vinho, os homens o caluniaram dizendo que tinha um demónio, e portanto o desonraram. A mesma coisa que Jesus disse que os homens fizeram em relação a ele, apesar de à diferença de João Ele ter comido pão e bebido vinho, dizendo porém que ele era um comilão e um bêbado, e um amigo dos publicanos e dos pecadores. Portanto, tanto João Batista como o Filho do homem foram ofendidos e caluniados pelos homens.

Jesus é sim o amigo de todos aqueles que temem a Deus, de facto está escrito: "Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos" (Sal. 119:63). Aliás ele mesmo disse aos seus discípulos: "Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando" (João 15:14), se portanto para ser amigo de Jesus Cristo era preciso e é preciso obedecer às suas palavras, como pode Jesus declarar-se amigo dos pecadores e estes últimos declarar ter em Jesus um amigo? Eu seria pessoalmente ofendido se alguém me definisse amigo dos pecadores porque não aprecio de modo nenhum nem as palavras e nem as obras dos pecadores, mas as detesto e as reprovo. Como por exemplo se sentiria ofendido um juiz ou um magistrado que faz o seu dever indagando e investigando os malfeitores e desmascarando as suas más acções para depois levá-los diante do juiz para que sejam punidos como merecem, se ouvisse que o chamavam ‘o amigo ou amigo dos malfeitores’. Para te dar um exemplo prático, tenta imaginar o magistrado Giovanni Falcone quando era vivo, como teria reagido se alguém o tivesse definido ‘o amigo ou um amigo dos mafiosos’. Não achas que se sentiria ofendido?
Mas como se pode dizer que Jesus, o Justo, era o amigo dos pecadores quando também ele detestava tanto as obras como as palavras dos pecadores, desmascarando-as e reprovando-as? Como podia Ele que era a luz do mundo, ser o amigo das trevas? A amizade implica comunhão de interesses, de visões, de propósitos, confiança recíproca, disponibilidade para ajudar-se na dificuldade e por aí fora; onde alguma vez Jesus mostrou estas coisas para com os pecadores? Não é porventura verdade que ele lhes pregava o Evangelho para que eles se convertessem das suas iníquas obras, e as abandonassem? Não é porventura verdade que os homens o odiavam porque ele testemunhava que as suas obras eram más? Como podia portanto Jesus ser o amigo dos pecadores? Jesus era ‘o inimigo número um dos pecadores’, no sentido daquele que em primeiro lugar recusava participar nas suas iníquas obras e aprová-las, e de certo assim era considerado pelos pecadores do seu tempo.
É amigo dos pecadores alguém que se desviou, alguém que deixou de temer a Deus, que lançou para trás das costas as palavras de Deus, esse sim é um amigo dos pecadores porque já tem prazer em andar como e com os pecadores. É amigo dos pecadores um hipócrita que faz uma vida dupla. Mas certamente não se pode definir amigo dos pecadores um homem temente a Deus, e muito menos o Justo.
Certo, o justo ama anunciar a Palavra de Deus aos pecadores, e portanto quando tem a ocasião lhes anuncia a Palavra da salvação. Pode encontrar-se à mesa com eles por esta razão, porque eles o convidam para comer com eles ou porque vêm ter com ele para ouvi-lo falar. E por esta razão pode ser definido ‘amigo dos pecadores’, mas isso por quem? Pelos religiosos hipócritas modernos, por aqueles que têm a aparência da piedade mas negaram-lhe o poder, por aqueles em suma que são como os antigos escribas e fariseus que murmuravam contra Jesus quando o viam sentado à mesa com os pecadores, ou receber os pecadores para falar-lhes do Reino de Deus. Leia-se atentamente a sua história e se verá como Jesus foi chamado desta maneira pelos hipócritas da sua geração.

 

 

Índice