11. Quem são as dignidades de que Pedro diz que os falsos doutores não receiam blasfemar? 


São Satanás, os seus principados, as potestades, os dominadores deste mundo de trevas e as forças espirituais do mal que estão nos lugares celestiais. Isto o se percebe lendo o que diz Judas na sua breve epístola onde fala dos ímpios que se introduziram no meio da Igreja de Deus; Judas de facto destes diz: "E, contudo, também estes, semelhantemente adormecidos, contaminam a sua carne, e rejeitam a dominação, e vituperam as dignidades. Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda" (Judas 8-9).
Esse ‘mas’ está a indicar que enquanto os ímpios pronunciam juízos de maldição contra o diabo, o arcanjo Miguel que todavia é mais poderoso do que o diabo, quando se encontrou a contender com o diabo não ousou pôr-se a ofendê-lo mas o repreendeu da parte de Deus, e naturalmente o arcanjo Miguel ainda se mostra respeitoso para com o príncipe deste mundo, porque assim é chamado o diabo. E não é só o arcanjo Miguel a ter este comportamento respeitoso para com o diabo, mas também todos os anjos do Senhor se comportam assim, de facto, o apóstolo Pedro diz: "Enquanto os anjos, sendo maiores em força e poder, não pronunciam contra eles juízo blasfemo diante do Senhor" (2 Ped. 2:11).
Portanto, se o arcanjo Miguel e os anjos do Senhor, que são maiores em força e poder do que o diabo e todos os seus ministros invisíveis, não ousam pôr-se a ofender estas dignidades, muito menos nós devemos nos pôr a pronunciar juízos de maldição contra as dignidades.

 

 

Índice