10. Poderias explicar-me qual é a doutrina que se alguém vem ter connosco e não a traz não o devemos receber em casa e nem o devemos saudar (cfr. 2 João 10)?


A doutrina em questão é a que ensina que Jesus Cristo veio em carne, com efeito, João antes de dar esta instrução disse: "Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo. Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão. Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho" (2 João 7-9).
Como podes ver não se trata de uma qualquer doutrina bíblica mas da doutrina que afirma que Jesus Cristo era um verdadeiro homem feito de carne e osso, aquela que em suma testifica a incarnação do Filho de Deus conforme está escrito: "E a Palavra se fez carne, e habitou entre nós, cheia de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigénito do Pai" (João 1:14) e também: "Que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação o ser igual a Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz" (Fil. 2:5-8); e portanto a doutrina que testifica a perfeita humanidade de Jesus Cristo. Esta doutrina cardinal do Cristianismo já era negada nos dias dos apóstolos, digo já negada porque ainda hoje há muitos que negam que Jesus Cristo fosse um verdadeiro homem dizendo que na realidade o Cristo era um espírito ou um fantasma. Eu chamo esta doutrina ‘doutrina cardinal do Cristianismo’ porque é precisamente em virtude do facto de o Filho de Deus ter participado do sangue e da carne (cfr. Heb. 2:14) que ele pôde morrer sobre a cruz pelos nossos pecados. Como poderia de facto um espírito morrer sobre a cruz por nós? Não poderia. Portanto negar a humanidade de Cristo ou que o seu corpo fosse um verdadeiro corpo de carne e osso em que corria sangue leva inevitavelmente a negar a sua morte expiatória, o seu sacrifício. E naturalmente esta diabólica doutrina além da morte leva a negar também a sua ressurreição e portanto a negar o evento ocorrido na vida de Jesus para a nossa justificação e, de facto, se Cristo não tivesse ressuscitado nós estaríamos ainda nos nossos pecados (cfr. 1 Cor. 15:17) e a nossa fé seria vã.
Eis pois por que esta heresia que afirma que Jesus Cristo não veio em carne é particularmente grave e João nos põe severamente de sobreaviso contra aqueles que a professam, coisa que ele faz também na sua primeira epístola conforme está escrito: "Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conheceis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo. Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é Aquele que está em vós do que aquele que está no mundo. Eles são do mundo, por isso falam como quem é do mundo, e o mundo os ouve. Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro" (1 João 4:1-6).

 

 

Índice