8. Por que temos os livros do Velho Testamento na nossa Bíblia e não apenas os do Novo Testamento?  


Porque também os livros do Antigo Testamento são parte da Sagrada Escritura e "toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra" (2 Tim. 3:16-17).

Para perceberes o que te estou dizendo é suficiente que tu leias mesmo que superficialmente os livros de Mateus, Marcos, Lucas e João, e te debruces sobre os ensinamentos de Jesus Cristo. Verás que Jesus muitas vezes fez referência a palavras escritas nos livros do Antigo Testamento ou também a histórias do Antigo Testamento para confirmar as suas palavras. Também quando Jesus foi tentado pelo diabo, ele citou palavras escritas no Antigo Testamento, precisamente na lei (cfr. Mat. 4:1-11), o que confirma quanto autorizada era para o Senhor a lei de Moisés, e se o era para ele que era o Filho de Deus como pode não sê-lo para nós? Mas os próprios Mateus, Marcos, Lucas e João, para explicar certas coisas concernentes à vida ou ao ensinamento de Jesus, citaram os Escritos do Antigo Testamento, sobretudo quando disseram por que motivo aconteceram certas coisas porque disseram que foi para que fosse cumprido o que estava escrito ou que tinha sido dito por este ou por aquele profeta.
Se depois passarmos aos Actos dos apóstolos, às epístolas de Paulo, às de Pedro, à de Tiago, à epístola aos Hebreus, notarás que também aqui há muitas passagens do Antigo Testamento ou referências a histórias do Antigo Pacto tomadas para sustentar doutrinas ou conceitos.
Ao todo, no Novo Testamento há centenas de escrituras do Antigo Pacto que são mencionadas.
Logo, se estes Escritos do Antigo Pacto não foram ignorados nem por Jesus e nem pelos apóstolos, mas antes considerados Palavra de Deus como poderíamos nós não incluir esses livros na Bíblia? Certo, eles fazem parte do Antigo Testamento, mas tu deves ter bem presente que o Novo Testamento não se pode perceber se não se percebe primeiro o Antigo; não se pode por exemplo perceber por que o Novo Testamento é melhor do que o Antigo se não se conhece primeiro este último. Não podes perceber por que Jesus Cristo disse ou fez muitas coisas, ou por que os apóstolos disseram certas coisas, se tu não conheces primeiro o Antigo Testamento.
E depois lendo as histórias do Antigo Pacto, vê por exemplo a história de José ou a de Davi para citar só algumas, se é grandemente consolado e encorajado; lendo a história de Israel no deserto é-se admoestado; e que dizer da leitura dos Salmos ou dos livros dos Profetas? Não é verdade que a nossa alma ganha força e coragem pela sua leitura?
Eu leio tanto o Antigo como o Novo Pacto e devo dizer que não importa que parte leio eu me sinto sempre edificado. Naturalmente estou plenamente consciente que muitas coisas do Antigo Pacto são passadas porque foram cumpridas pelo Novo Testamento, mas permanece o facto de que também pela leitura daquelas coisas ultrapassadas tiro ensinamento.

 

 

Índice